Meio ambiente: o que o transportador pode fazer?

Soluções para reduzir a emissão de poluentes e o aquecimento global surgem todos os dias, mas existem pequenas atitudes que são muito importantes. Conheça!
Meio ambiente: como o transportador pode ajudar? | Volvo na Estrada

Existem pelo menos seis maneiras de reduzir a emissão de poluentes e de gases do efeito estufa no transporte, setor que enfrenta o desafio de aliar a demanda crescente ao desenvolvimento sustentável.

Soluções para reduzir a emissão de poluentes e o aquecimento global mobilizam governos de vários países. Mas a atitude de empresas e de indivíduos pode fazer a diferença, especialmente na área de transportes. “Nos últimos 20 anos houve uma redução significativa de emissões, entre 80% e 85%, desde a implementação do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores – PROCONVE, em 1986”, analisa o engenheiro Alexandre Parker, gerente de assuntos governamentais e institucionais da Volvo. O Programa, instituído pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente, CONAMA, estabelece um cronograma de redução gradual de emissões para veículos leves e pesados.

Mas o segredo do bom desempenho ambiental do veículo também passa pelas mãos que seguram o volante: “Com um bom motorista, treinado, é possível economizar na manutenção do veículo e no gasto de combustível. Quanto menor o consumo de combustível, menor impacto ambiental”, enfatiza Parker.

Confira algumas ações que podem ajudar a minimizar o impacto ambiental no transporte de cargas:

1. Treinamento dos motoristas

O consumo de combustível e a vida útil do caminhão dependem do motorista. Com treinamento para uma condução econômica pode-se reduzir sensivelmente o consumo de combustível, com a consequente redução de emissão de CO2. A Volvo do Brasil disponibiliza treinamento através de sua rede de concessionárias.

2. Qualidade do combustível

O rendimento e a durabilidade do veículo estão totalmente relacionados com a qualidade do combustível. O motorista deve utilizar sempre combustíveis de procedência, adquiridos em distribuidores devidamente homologados/certificados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), tudo para alcançar menor emissão de gases poluentes e, consequentemente, diminuir o efeito estufa.

3. Configuração correta do veículo

Para cada modalidade de transporte existe uma configuração técnica mais adequada do veículo, de acordo com o tipo de operação. Utilizar a configuração apropriada de caminhão (caixa de câmbio, diferencial etc.), reduz o consumo de combustível e a emissão de poluentes.

4. Respeito aos limites de carga

Transportar cargas em excesso é uma atitude arriscada. Além do risco de segurança, o excesso de peso resulta no maior consumo de combustível, no desgaste prematuro do caminhão e na rápida deterioração do pavimento das rodovias. Respeitar o limite de carga previsto na legislação significa mais segurança nas estradas e menor impacto ambiental.

5. Manutenção preventiva

As manutenções programadas evitam paradas imprevistas e gastos desnecessários. A manutenção adequada resulta no melhor desempenho do veículo e, consequentemente, na redução da emissão de poluentes e do consumo de combustível.

6. Uso de peças genuínas

As peças genuínas garantem o funcionamento adequado do veículo, tendo mais qualidade, não precisam ser substituídas com frequência, o que implica na redução do consumo de matéria-prima e de recursos naturais, bem como na eventual redução do consumo de combustível.

Fonte: Revista Eu Rodo

Texto: Patrícia Moskwyn

Foto: Humberto Michaltchuk

 

 

 

Este artigo foi produzido com base em pesquisa realizada nos principais canais de informação do mercado de transporte. As afirmações contidas aqui não necessariamente representam o posicionamento da Volvo.