Para os mais potentes, um desafio extremo

Confira como foi a viagem do comboio de caminhões Volvo FH750 levando o rotor de 8,75m de diâmetro e 5m de São Paulo até o Pará.

Para os mais potentes, um desafio extremo | Volvo na Estrada

A gente já tinha falado aqui sobre o desafio extremo que a Transdata iria enfrentar junto com os caminhões mais potentes do mundo. A tarefa com os gigantes aconteceu. Um comboio de três FH 750 carregou o primeiro rotor da hidrelétrica de Belo Monte.

A viagem foi longa e passou por terra, mar e rio. O comboio saiu de Araraquara, em São Paulo, onde o rotor de energia foi fabricado pela Andritz, e foi até o rio Xingu, no Pará. O transporte terrestre do rotor que tem 8,75m de diâmetro e 5m de altura foi realizado pela Transdata, empresa especializada em transportes de alta complexidade. A composição com 108m de comprimento, implemento de dois conjuntos de 18 linhas de eixo cada, com uma soma de 288 pneus, foi tracionada por três FH 750. Por conta da baixa velocidade (10km/h) e da restrição para rodar em horários de grande tráfego, foram 31 dias de no trajeto Araraquara – Santos (370 km).

E essa não será a única jornada do comboio com os brutos da Volvo. Ao longo de 2016, a Andritz vai entregar mais quatro rotores iguais para a usina de Belo Monte.
Vejas fotos do transporte: