Até este momento do século XXI, os caminhões da Volvo tornaram-se ainda mais potentes, eficientes, confortáveis, seguros e limpos do que nunca.

A economia sempre esteve no foco inabalável dos caminhões Volvo, desde que o primeiro caminhão foi produzido em fevereiro de 1928. Com a situação duvidosa da economia global desde o final dos anos 2000, hoje são impostas demandas ainda maiores: além de ser econômico, ergonômico e ecologicamente sustentável, os caminhões também precisam funcionar de modo otimizado e perfeito em um sistema integrado completo. Um sistema em que não apenas o caminhão, mas todos os modos de transporte que trabalham juntos são adequados para a tarefa.

Em que o fabricante (por exemplo, a Volvo) assume a responsabilidade pelo caminhão durante todo o seu ciclo de vida. Em que o caminhão é respaldado por uma série de sistemas integrados (como o Dynafleet). Em que o sistema de manutenção coordenado entre a Volvo e cada empresa de transporte garante o funcionamento perfeito contínuo. Em que as paradas operacionais são evitadas por meio da manutenção bem planejada, garantida pelo fabricante do caminhão.

Estamos apenas no início dos anos 2010. Esta promete ser a década mais empolgante de todas, talvez com desafios maiores do que nunca…

E assim chegamos aos nossos dias. Nosso panorama histórico termina agora, com uma visão da série atual de caminhões Volvo.

Caminhões Volvo da série FH

A nova série Volvo FH

A nova série Volvo FH foi lançada em 2012 como predecessora de um dos caminhões de maior sucesso já produzidos no mundo. Por 19 anos, o Volvo FH foi um ícone da indústria de caminhões. Não precisamos dizer que as expectativas eram muito altas.

No espetacular lançamento, o novo Volvo FH mostrou-se exatamente como seu precursor de uma única maneira: sendo algo inteiramente novo. O novo caminhão estava repleto de recursos inovadores, muitos deles inéditos no setor, ultrapassando os limites das possibilidades de um caminhão.

Vários deles tinham um só foco: o motorista. Naquela época, atrair bons motoristas tornou-se cada vez mais importante e difícil para as operadoras de transporte no mundo todo. Mas isso foi antes da chegada do novo FH.

Com um metro cúbico adicional de espaço na cabine, manuseio semelhante ao de um carro, ótima visibilidade e vários recursos de conforto, como o sistema de climatização totalmente novo com I-ParkCool, esse espaço de trabalho seria adorado pelos motoristas.

O novo FH também proporcionou diversas maneiras inovadoras de tornar os transportes mais lucrativos para a operadora. As oportunidades de economia inteligente de combustível, como o I-See, têm impacto direto sobre o resultado financeiro. O mesmo acontece com a corajosa promessa de 100% de disponibilidade, antes impensável neste setor.

Mas, acima de tudo, a nova série Volvo FH apresentou uma outra promessa: a promessa de estar preparada para o futuro. Já no lançamento, foi apresentado o incrível trem de força I-Torque, compatível com a Euro 6, e a plataforma de telemática avançada, criada para as empolgantes novidades futuras.

Mais uma vez, o Volvo FH tornou-se um agente de mudança na indústria do transporte.

Caminhões Volvo FH16

Volvo FH16

Com o lançamento do Volvo FH16 750 no segundo semestre de 2011, o FH16 recuperou sua posição de caminhão mais potente do mundo. Com 750 hp e torque máximo de 3.550 N m, ele supera todos os outros caminhões.

Para muitas tarefas de transporte, o FH16 é “desnecessariamente potente”, embora sua tecnologia avançada ajude a garantir custos operacionais baixos, mesmo para tarefas de transporte “normais” mais leves. Porém, para tarefas rápidas de longa distância em terreno montanhoso, para transporte ultrapesado e para clientes que desejam o melhor do mundo dos caminhões, o FH16 não é apenas adequado, mas uma opção óbvia.

Em muitos aspectos (além da potência), o FH16 pode ser comparado com a série FH de 13 litros “regular”: a mais alta segurança, a melhor ergonomia, confiabilidade operacional contínua, boa capacidade de carga, acesso a uma rede de atendimento global e baixíssimo impacto ambiental. Além do modelo de nível superior – o FH16 750 – o FH16 também está disponível em versões com 550 e 650 hp.

Em uma perspectiva histórica, o FH16 é um caminhão surpreendente. Antes, um motor potente sempre significava maior consumo de combustível, capacidade de carga muito menor e maior impacto ambiental. Reconhecidamente, o custo de compra de um FH16 é maior que de um Volvo FH “regular”, mas seu custo de operação é semelhante, e a redução na carga útil é marginal.

Por outro lado, a potência do FH16 pode representar um aumento na velocidade média e, portanto, mais atribuições de transporte realizadas, e o FH16 sempre consegue acompanhar o ritmo do tráfego. Isso evita distúrbios no fluxo do tráfego, mesmo com pesos brutos especialmente elevados…

Caminhões Volvo FH

Volvo FH

A maioria dos caminhões Volvo é usada em atribuições de transporte doméstico ou internacional. E, na grade do caminhão de maior sucesso do mundo, o emblema diz “VOLVO” e “FH”.

Não é possível relacionar o motivo do sucesso da série FH com qualquer componente específico ou característica individual. Em vez disso, a explicação está no pacote completo: o versátil FH consegue combinar características como ótimo desempenho, grande capacidade de transporte de carga, velocidades médias altas, a melhor segurança do mercado, ergonomia ideal e impacto ambiental mínimo, com o mais baixo custo operacional possível em diversas áreas de aplicação.

Outras explicações para o sucesso e a popularidade da série FH encontram-se no fato de que o “hardware” – o caminhão propriamente dito – tem o respaldo do “software” especializado da Volvo – como a rede de atendimento global e os sistemas de suporte, por exemplo, o Volvo Dynafleet, que reduz a carga sobre administração da empresa de transporte e simplifica as rotinas diárias e o planejamento do motorista.

A série FH não é apenas uma das opções favoritas entre as empresas de transporte; ela também é a primeira escolha dos motoristas, graças a seu conforto, ergonomia e segurança (também popular entre os familiares dos motoristas…). Considerando isso, a série FH não é UM caminhão, mas milhares de versões possíveis, cada uma adaptada às prioridades individuais da empresa de transporte, aos desejos de cada motorista e, acima de tudo, às demandas específicas de cada atribuição de transporte.

É possível escolher entre quatro cabines: a cabine diurna curta, a cabine-leito normal, a famosa cabine Globetrotter e a ultraespaçosa cabine Globetrotter XL. Todas são igualmente confortáveis, mas, por conta de seus variados níveis de volume interno, cada uma é adaptada para os requisitos específicos de cada motorista, empresa de transporte e atribuição de transporte com relação ao conforto de direção e alojamento, e espaço/peso da carga útil.

Sob a tampa do motor, sempre está o testado motor de 12,8 litros com comando de válvulas superior, quatro válvulas por cilindro, injeção unitária eletrônica e o patenteado VEB (Volvo Engine Brake ou freio motor da Volvo). As potências dentre 420 e 540 hp atendem a (quase) todas as necessidades de desempenho (se 540 hp não forem “suficientes”, sempre há o FH16 com até 750 hp à disposição…)

Caminhões Volvo FM

Volvo FM

A série FM é muito próxima da série FH, mais alta, mas foi projetada para ser de longe o caminhão pesado mais versátil da Volvo.

A série FM tem duas opções de motor: o D13, com seu motor de 12,8 litros (potências entre 420 e 500 hp), e o motor de alta tecnologia D11, de 10,8 litros (que oferece de 330 a 450 hp). Da mesma forma que na série FH, a Volvo disponibiliza diversas transmissões: caixas de câmbio manuais mecânicas tradicionais, transmissões automáticas Powershift ou o I-Shift (a principal alternativa), a exclusiva transmissão automatizada não sincronizada da Volvo, adequada para todas as situações, do trabalho de distribuição local a operações de construções e transporte de longa distância regional, nacional e internacional.

A série FM é basicamente idêntica à FH, mas com uma exceção fundamental: a cabine é posicionada mais baixa, o que facilita a entrada e saída e a torna ideal para tarefas especializadas, como transporte de carros, em que parte da carga pode ser colocada sobre a cabine. Com a cabine mais baixa, o espaço interno na série FM é menor que no FH, devido à tampa do compartimento do motor maior entre os bancos do motorista e do passageiro.
Existe uma ampla variedade de cabines para a série FM, com seis alternativas diferentes:

  • a cabine diurna oferece o maior/mais longo espaço de carga em um determinado comprimento total, com um leito de descanso diurno opcional.
  • a cabine leito oferece acomodação confortável para o motorista dormir e espaço para um leito superior adicional.
  • a cabine leito inferior oferece espaço para carga sobre a cabine, com acomodação confortável para uma pessoa dormir.
  • a cabine Globetrotter oferece acomodação de pernoite confortável para duas pessoas.
  • o espaço adicional da cabine Globetrotter XL, com altura interna de uma pessoa em pé, adicionou conforto para duas pessoas, junto com um generoso espaço de armazenamento.
  • a cabine para tripulação tem seis bancos confortáveis.


  • A série FM está disponível em milhares de configurações diferentes, com quatro comprimentos de chassi e dois, três ou quatro eixos. É vendida no mundo inteiro, com exceção da América do Norte.

    Caminhões Volvo FM MethaneDiesel

    Volvo FM MethaneDiesel

    Desde a década de 1990, a Volvo desenvolve caminhões movidos a combustíveis alternativos. Nos anos 2010, esse trabalho resulta em caminhões que, além de gerarem menos impacto ambiental, também realizam seu trabalho de transporte com total segurança, ótima economia operacional e praticamente a mesma capacidade de transporte de carga.

    O FM MethaneDiesel é uma solução de transporte sustentável e econômica que, usando gás liquefeito como combustível, marca um grande passo no desenvolvimento do caminhão ecologicamente otimizado. Em comparação com os veículos acionados a gás “regular” (que usam um motor de ciclo Otto com velas de ignição convencionais), o FM MethaneDiesel apresenta eficiência energética de 30 a 40% superior, contribuindo para um consumo de combustível cerca de 25% menor que o dos veículos a gás com motor de ciclo Otto. A faixa operacional é ilimitada, já que o FM MethaneDiesel pode funcionar com gás ou diesel convencional. Sob a tampa do compartimento do motor, há um motor de 13 litros que gera 460 hp. Isso é mais do que suficiente até para atribuições de transporte pesado.

    Do ponto de vista ambiental, o FM MethaneDiesel é superior aos caminhões a diesel convencionais, pois as emissões de dióxido de carbono são até 70% menores ao usar biogás.

    O FM MethaneDiesel (que, até o momento, é produzido somente sob encomenda e para mercados selecionados) foi desenvolvido primariamente para operações de distribuição regional, mas também é adequado para serviços locais pesados e, graças à possibilidade de rodar com diesel comum, também para operações de longa distância.

    Para serviços de construção pesada, a potência do MethaneDiesel também está disponível no Volvo FMX.

    Caminhões Volvo FMX

    Volvo FMX

    A Volvo tem caminhões para TODAS as atribuições de transporte com peso bruto a partir de 12 toneladas. Uma área de aplicação com demandas extremamente altas é a de serviços de construção pesada. A Volvo apresentou seu primeiro caminhão extrarresistente, o LV66, em 1931, projetado especificamente para esse tipo de operação. Desde o início dos anos 1990, foram fabricados determinados modelos da Volvo especificamente para serviços de transporte de construção com exigências adicionais.

    O FMX é hoje o caminhão Volvo para as condições de construção mais pesadas. Ele foi lançado em 2010 e, em alguns aspectos, é semelhante à série FM “regular”. Em outros, é adaptado exclusivamente para atender as demandas muito especiais impostas pelas cargas pesadas em combinação com terrenos irregulares, estradas apropriadas, canteiros de obras acidentados e condições off-road.

    As propriedades do FMX são, em grande parte, resultado da experiência da Volvo como líder mundial na fabricação dos caminhões basculantes da Volvo Construction Equipment.

    Sob a tampa do compartimento do motor do FMX, há opções de motores de 11 litros (com potência entre 330 e 450 hp) ou de 13 litros (com qualquer potência entre 420 e 540 hp). As alternativas de transmissão são manual mecânica, automatizada I-Shift ou automática Powertronic da Volvo com Powershift, ou seja, fornecimento ininterrupto de potência, mesmo durante as trocas de marcha, uma vantagem importante nas condições de operação do FMX. A maior diferença em comparação com o Volvo FM “regular” está no chassi, com sua enorme distância do solo e proteção extra dos componentes vulneráveis.

    O FMX tem várias propriedades exclusivas; por exemplo, a travessa de reboque frontal é dimensionada para uma força de reboque de 25 toneladas, útil para rebocar equipamento pesado, auxiliar outro caminhão atolado ou ser rebocado. O FMX está disponível com dois, três ou quatro eixos. Com acionamento apenas de um eixo traseiro, os dois eixos traseiros ou tração em todas as rodas de dois ou três eixos.

    Para minimizar o impacto ambiental, o FMX pode ser especificado com a configuração para MethaneDiesel, com motor de 13 litros e 460 hp e emissões de dióxido de carbono reduzidas em até 70%.

    Caminhões Volvo FE

    Volvo FE

    Um caminhão pesado com carga útil muito alta para operações de distribuição local ou regional ou os exigentes serviços municipais. Essas são as principais áreas de aplicação do Volvo FE.

    O FE está disponível em configurações com dois ou três eixos, e acionamento de um ou dois eixos traseiros.

    As três alternativas de cabine possibilitam uma ampla faixa de áreas de aplicação para o FE. Uma cabine diurna curta é apropriada para transportes locais com utilização máxima da carga útil, em que o motorista sempre começa e termina seu dia de trabalho na base do caminhão. A cabine confortável mais longa associa o generoso espaço de carga com conforto aumentado para longas distâncias em que um leito fixo não é essencial. A cabine leito oferece um leito fixo para atribuições em que o motorista precisa – de modo ocasional ou frequente – de acomodação de pernoite confortável na cabine durante atribuições de transporte que duram vários dias.

    Sob a tampa do compartimento do motor encontra-se o motor D8 de 7,7 litros com potências entre 250 e 320 hp. Existem opções com transmissão manual e automática.
    A faixa de especificações do FE é especialmente ampla. Além das diversas alternativas de eixos, há várias opções de suspensão – tanto suspensão convencional quanto a ar (que oferece conforto excepcional e benefícios de manuseio flexível da carga). Os pesos brutos disponíveis variam entre 18 e 26 toneladas.

    O FE, que muitas vezes é usado em ambientes urbanos, obviamente atende às rígidas regulamentações sobre emissão de escape Euro 5, mesmo em sua configuração padrão. Para operações que priorizam especialmente o meio ambiente local, como coleta de resíduos, o FE também pode ser equipado com transmissão híbrida.

    Caminhões Volvo FE Hybrid

    FE Hybrid

    Os grandes avanços da empresa em conhecimento tecnológico fizeram a Volvo ser pioneira no segmento de caminhões com mínimo impacto ambiental (emissões de escape e ruído), além de baixo consumo de combustível (= baixas emissões de dióxido de carbono).

    O avanço mais recente, e um dos mais importantes de todos os tempos, é o novo FE Hybrid que, com energia elétrica e um motor a diesel eficiente e otimizado em termos ecológicos, proporciona um impacto ecológico excepcionalmente pequeno.

    No volante, dirigir um FE Hybrid é tão simples quanto dirigir um caminhão “regular”. O motor elétrico é instalado entre o motor a diesel e a caixa de câmbio. A distribuição de potência entre o motor elétrico e o motor a combustão ocorre de modo totalmente automático. Para aumentar o conforto, o caminhão apresenta troca automática de marchas com a transmissão I-Shift da Volvo (a mesma instalada nas séries FH e FM, dimensionada para pesos brutos combinados de 44 toneladas).

    O FE Hybrid destina-se primariamente a atribuições de transporte local, mas, graças à potência integrada do diesel, sua faixa operacional é, a princípio, ilimitada. Espera-se que sua principal área de aplicação sejam as operações de distribuição e a coleta de resíduos. Há duas opções de cabine disponíveis: cabine diurna para distribuição e operações semelhantes, com comprimento de carga máximo em um determinado comprimento total, e uma cabine confortável que, graças ao comprimento interno adicional, oferece mais conforto e amplo espaço, por exemplo, para trocas de roupas em serviços com resíduos.

    O FE Hybrid está disponível em opções com dois e três eixos, com um motor de 7,2 litros, comando de válvulas superior e quatro válvulas por cilindro. A potência do motor é de 300 hp (por exemplo, para serviços de distribuição) ou 340 hp (ideal para coleta de resíduos e outros serviços).

    O FE Hybrid é a síntese de décadas de pesquisas realizadas na Volvo. Graças aos muitos anos de testes com veículos híbridos, a Volvo é capaz de garantir o funcionamento ideal deste “veículo do futuro”!

    O FE Hybrid é o primeiro veículo híbrido da Volvo produzido em série. Mas, certamente, não é o último!

    Caminhões Volvo FL

    Volvo FL

    O Volvo FL representa o segmento mais leve na ampla série de caminhões médios e pesados da Volvo. Está disponível em três versões básicas, 12–16, 14–16 ou 18 toneladas, sendo que, na verdade, a versão mais pesada serve como um caminhão muito leve no segmento dos pesados.

    A série FL foi projetada primariamente para ambientes urbanos, onde é usada principalmente em serviços de distribuição, como veículo de serviços municipais ou para transportes especiais com grande demanda de robustez e economia, mas para os quais um peso bruto de 12 a 18 toneladas é suficiente.

    Sob a tampa do compartimento do motor está o potente motor D8 de 7,7 litros com 250 ou 280 hp. Ele apresenta comando de válvulas no cabeçote e quatro válvulas por cilindro. As opções de transmissão consistem em caixas de câmbio manuais mecânicas de 6 ou 9 marchas, a transmissão automática Powershift ou a transmissão automatizada I-Sync, que facilita o trabalho do motorista nos ambientes rápidos das cidades e subúrbios, que exigem trocas de marchas frequentes.

    A série FL abrange milhares de variações diferentes, cada uma adaptada para sua missão de transporte específica. Os comprimentos dos chassis variam de (aproximadamente) 6,1 a 11,2 metros, com alternativas de distância entre eixos de 307 a 680 cm. O FL está disponível somente na configuração de dois eixos, mas com várias alturas de chassi, e oferece entrada e saída particularmente convenientes.
    A série FL destina-se principalmente a tarefas de transporte que não exigem acomodação de pernoite. A cabine diurna curta possibilita uma plataforma de carga longa dentro de um determinado comprimento total, enquanto a cabine confortável proporciona espaço interno extra para aumentar o conforto e a sensação de amplitude da cabine. Para caminhões de bombeiros ou serviços municipais, por exemplo, há uma cabine para tripulação com espaço para toda uma equipe.

    A cabine do FL tem 2,1 metros de largura. Isso proporciona ao veículo excelente capacidade de manobra em situações de congestionamento na cidade.

    As empresas que usam a série FL (independente de serem empresas de transporte ou de operarem principalmente em outros segmentos) têm acesso a todos os benefícios “flexíveis” da série de produtos da Volvo, como os diversos programas de manutenção preventiva, reparos e sistemas de informações para o motorista, como o Dynafleet.

    Caminhões Volvo VM

    Volvo VM (América do Sul)

    A América do Sul é um mercado importante para as vendas de caminhões da Volvo. Além dos caminhões FH, FM e FMX, o exclusivo modelo VM, baseado na série internacional de caminhões da Volvo, também é comercializado na região.

    Sob o capô do VM há um motor fabricado localmente, no Brasil, com opções de potência de 210, 260 ou 310 hp.

    O VM é produzido na fábrica da Volvo em Curitiba, Brasil, e está disponível com dois ou três eixos, e acionamento de um ou dos dois eixos traseiros (na versão 6x4 de três eixos). O VM tem uma área de aplicação ampla e está disponível com várias configurações de cabine, com ou sem um leito fixo. O VM destinava-se inicialmente a tarefas locais e regionais, mas a amplitude de suas especificações, sua solidez e seu desempenho ajudaram a popularizá-lo para serviços nacionais de longa distância no gigantesco país que é o Brasil!

    Caminhões Volvo VN e VNM

    VN e VNM (América do Norte)

    A América do Norte é um continente com tradições, condições de operação e legislação únicas, tanto em relação ao transporte geral quanto ao transporte específico por caminhão. Por isso, a Volvo, com sua posição de empresa global, tem uma série de produtos totalmente diferente da série “internacional” disponível no resto do mundo!

    Dois dos principais motivos para a série especial da Volvo nos EUA são as regulamentações de comprimento excepcionalmente generosas, que permitem capôs longos, e as longas distâncias que favorecem o desenvolvimento de “casas sobre rodas” particularmente espaçosas.

    O modelo mais importante da Volvo nos EUA é o VN, disponível em diversas versões. O VN está disponível com quatro opções de comprimento de cabine: uma cabine diurna curta e cabines-leito com três comprimentos, sendo que as duas mais longas também estão disponíveis com duas opções de altura. Na versão mais alta, é possível ficar em pé.

    Como regra geral, o modelo VN é configurado como um trator semirreboque de três eixos com acionamento dos dois eixos traseiros. Sob o capô do VN, em geral, a potência é fornecida por motores da Volvo de 11, 13 ou 16 litros. Além das unidades de força da própria Volvo, o VN também pode ser especificado com um motor Cummins de 15 litros.

    A transmissão com troca automática I-Shift da Volvo tornou-se uma opção popular dentre os clientes e motoristas americanos, embora as caixas de câmbio manuais não sincronizadas fabricadas no EUA também sejam comuns.

    Junto com o modelo VN principal, também há o VNM, que tem um capô mais curto e, assim, oferece melhor capacidade de manobra para operações locais e regionais. O VNM pode ser especificado com cabine diurna ou cabine-leito e duas opções de comprimento para tarefas que exigem acomodação de pernoite para um ou dois motoristas.

    O VNM sempre conta com o motor Volvo de 11 ou 13 litros, em conjunto com a transmissão I-Shift da Volvo ou uma caixa de câmbio não sincronizada produzida nos EUA.

    Caminhões Volvo VHD

    VHD (América do Norte)

    O VHD é o modelo da Volvo de construção extremamente robusta para a América do Norte. É adaptado exclusivamente para atender às demandas das empresas de construção americanas e a legislação de veículos dos EUA, que não “penaliza” os caminhões tradicionais, mas permite e recompensa os modelos “convencionais” com capôs longos.

    Em relação a outros modelos da Volvo Caminhões na América do Norte, o VHD é totalmente exclusivo, com um chassi especialmente resistente e componentes excepcionalmente robustos disponíveis em diversas opções para que cada cliente possa criar seu VHD personalizado.

    O VHD é produzido com uma plataforma basculante e também como trator semirreboque. Em sua configuração básica, apresenta três eixos com tração tandem, mas é possível especificá-lo com diversas versões de até cinco eixos.
    O VHD, que foi apresentado em sua primeira versão na virada do século, é entregue com uma cabine diurna curta (o VHD) ou em uma versão com cabine longa e leito fixo (VHD430).

    Sob o capô do VHD, a potência sempre é fornecida por motores Volvo de 11 ou de 13 litros. A transmissão consiste na caixa de câmbio com troca automática I-Shift da própria Volvo ou em diversas caixas de câmbio manuais ou automáticas produzidas nos EUA.